Na sexta-feira, dia 14, no Plenarinho Ferúlio José Tedesco, o presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Santo Antônio da Patrulha, Jorge Eloy de Oliveira (PTB), recebeu o secretário Municipal da Saúde, Joy Silva, que se reuniu com os vereadores da Casa legislativa para discutir assuntos pertinentes ao setor, como a estrutura da secretaria em relação à equipe de profissionais e as demandas, às cotas de exames por especialidades, transportes de pacientes, receituários e medicamentos, a situação de atendimento no Hospital Municipal, agendamento das consultas, o funcionamento das unidades básicas, agentes comunitários e a situação do atendimento nos distritos do nosso município.

O Presidente da Câmara, manifestou preocupação com a situação do Hospital Municipal, hoje administrado pela Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre uma vez que o bloco cirúrgico até hoje não foi liberado pelo Estado.

O mês de setembro acontece sempre uma movimentação intensa no que diz respeito às manifestações culturais que fazem parte da tradição nacional e regional. 

O Vereador Marcelo Gaúcho (PTB) está visitando as escolas do Município e também do Estado. Na semana passada visitou a Escola Municipal Ensino Fundamental Santa Inês, em Santo Antônio da Patrulha.
A escolha pelo tema se deu em função da temática estadual da Semana Farroupilha, o Campeirismo Gaúcho e a sua importância social e cultural. Assim, os alunos compartilharam seus conhecimentos, tiraram suas dúvidas, e todos muito atentos em tudo que o Marcelo estava falando.
“A Escola tem como princípio difundir o tradicionalismo no meio educacional, promovendo o resgate da cultura gaúcha em suas mais variadas formas de manifestação”, diz Marcelo.

O vereador Manoel Adam (MDB) apresentou na Câmara indicação ao prefeito Daiçon Maciel da Silva sugerindo a implantação do Programa Tradicionalismo nas Escolas Municipais de Santo Antônio da Patrulha com a finalidade de valorizar e manter viva a cultura gaúcha, permitindo que os Centros de Tradições Gaúchas (CTG’s) tenham incentivo e fomento para crescer e se desenvolver, bem como levar a prática da dança gauchesca ao ambiente escolar.

A proposta do parlamentar visa fazer com que o Município implante um programa que valorize a cultura tradicionalista gaúcha, permitindo que os alunos das escolas municipais possam contribuir com os CTG’s, proporcionando a organização de invernadas infantil, mirim e juvenil e promovendo as danças artísticas.

Manoel explica que isso ainda permite ao Município fazer uso das invernadas a serem formadas nas escolas para apresentações em eventos de interesse da Municipalidade.

Na tarde desta segunda-feira, dia 10, na reunião da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), estiveram presentes os empresários do ramo de doces de Santo Antônio da Patrulha. Sergio de Jesus, doces Santo Antônio, Ênio Melo, DaColônia alimentos naturais e Rodrigo Guimarães, Doces Guimarães conversando sobre o encaminhamento de um Projeto de Lei, pelo Executivo, para autorização de uma operação de crédito, a fim de oportunizar obras de pavimentação asfáltica e infraestruturas das estradas Otávio Beijamin, Dos Guimarães, Rubens das Neves, Tomaz Onofre Barth e Antônio Osório dos Santos, na localidade de Costa da Miraguaia, em Miraguaia, 2º Distrito do município de Santo Antônio da patrulha.

O presidente da CCJ, o vereador André Selistre (PSB), vereadores e o Secretário Geral do Governo, Planejamento e Gestão, Ferúlio José Tedesco entendem que esta obra atenderá principalmente a demanda de escoamento da produção industrial e ao incremento ao turismo para diversas famílias que vivem na região. Os empresários também salientaram o anseio comunitário e um sonho das famílias, em serem beneficiadas com a pavimentação, uma vez que trará mais qualidade de vida, valorização e alto estima.

No mesmo dia, à noite, na 32ª Reunião Ordinária da Câmara de Vereadores foi aprovado por unanimidade o Projeto de Lei 214/2018, que autoriza o Poder Executivo (Prefeitura), a contratar operação de crédito junto ao BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, até o valor de R$ 5.920.000,00 (cinco milhões e novecentos e vinte mil reais), destinados à pavimentação asfáltica.

 Os vereadores ressaltaram a importância da aprovação deste projeto, e agora caberá ao executivo os tramites legais para receber o recurso e a aplicação do mesmo.

 O possível financiamento será realizado para pagamento em 10 anos, sendo os dois primeiros de carência e os oito anos restantes de desembolso, dentro da linha de crédito do BNDES automático, com uma taxa de juros de TLP BNDES acrescida de spread do BNDES de 2.33% ao ano e spread do BRDE de 4% ao ano.

O vereador Charlis Santos (MDB), acompanhado do assessor parlamentar Gabriel Diedrich, esteve participando no último dia 4 do encontro do Grupo Vidas Em Luta, que tem ocorrido semanalmente às quintas-feiras das 14h às 17h, no salão paroquial da Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem. O objetivo da visita ao grupo era conhecer um pouco do trabalho voluntário e abnegado em prol da saúde e bem-estar de pessoas acometidas pelo câncer.

O grupo Vidas Em Luta, que já chegou a 20 integrantes, surgiu como terapia ocupacional na Estratégia de Saúde do bairro Menino Deus nos idos de 2005, quando se iniciaram as reuniões semanais. O propósito de sua criação era formar um grupo de apoio a pessoas com tumor, idealizado pela fisioterapeuta Luciana – que perdeu a mãe e hoje reside em Bagé - e a psicóloga Bianca que já fazia um trabalho com a Liga Feminina de Combate ao Câncer. Em seguida, a farmacêutica Juliana também se inseriu no trabalho de forma voluntária, assim como as senhoras da Liga, Eda Monteiro Cardoso, Daici, Julieta e Maristela Ramos, que passaram a orientar a confecção de artesanato como terapia.

Nesses encontros, as participantes trocam valores, confraternizam com café, aprendem e fazem artesanato, os quais têm sido expostos e comercializados no Domingo Cultural, por exemplo, dentre outras feiras.

Participante e uma das lideranças do grupo, Laura Pereira da Silva explica que o objetivo é acolher essas pessoas vítimas do câncer durante o tratamento, principalmente quando saem do hospital. “É um grupo de passagem, onde quem sai do hospital pode obter uma terapia de recuperação e reinserção social pós-internação hospitalar. Por isso, o número de participação varia, pois muitas pessoas felizmente conseguem retomar a normalidade de suas vidas, para nossa alegria e satisfação”, afirma Laura.

O Grupo Vidas Em Luta trabalha hoje com seis diferentes projetos multidisciplinares: “Cabeça Feita”, momento com a psicóloga; “Mãos à Obra”, confecção de artesanato com as instrutoras da Liga, Eda, Maristela e Juleica; “Amor Por Um Fio”, construção de perucas para pacientes de quimioterapia; “Costurando Sonhos”, oficina de corte e costura, e “Malhando Ideias”, momento com a educadora física Michelle Diedrich, que oferece uma hora semanal de atividades físicas orientadas de acordo com cada caso clínico.

Sede própria

O grupo Vidas Em Luta reúne-se semanalmente às terças-feiras à tarde em espaço cedido no salão paroquial da Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem, por concessão do padre Vilson Schafer. Tomando conhecimento da realidade do espaço que hoje ocupam e da necessidade de ter um local mais acolhedor e reservado, o vereador Charlis Santos apresentou requerimento ao prefeito Daiçon Maciel da Silva na última sessão ordinária da Câmara, realizada na segunda-feira (10). Em seu pedido, o parlamentar solicita que a Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Esportes estude a viabilidade e possibilidade do Grupo Vidas Em Luta ocupar uma das “casas açorianas” instaladas no Parque Caetano Tedesco.

A cedência de uma das casas açorianas permitiria que essas senhoras tivessem o devido e reservado espaço para a prática de terapia ocupacional, pois hoje elas não têm um lugar permanente e público para se reunirem, ficando dependentes da boa vontade e disponibilidade de instituições de cunho privado e religioso.

Com a garantia desse local público e permanente, o Grupo Vidas Em Luta poderia zelar e manter pelo espaço, tendo a “casa açoriana” como referência para que ele possa se manter e agregar ainda mais voluntários.